segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Nova pesquisa: EAD para professores tem resultados imediatos

A Atualização profissional de professores a distância tem resultados imediatos na sala de aula. Nas disciplinas de matemática e de línguas, os professores que fizeram atualização e os alunos de suas salas melhoram suas práticas instrucionais no ensino e o entendimento de álgebra, frações e geometria, entre outras, além de seu vocabulário e sua escrita. Esses são alguns dos resultados do estudo que envolveu 330 professores de ensino fundamental presencial, e seus 7.700 estudantes, todos avaliados por dois anos letivos. Parte dos professores realizaram cursos a distância de desenvolvimento profissional de 30 horas, e os resultados deles, assim como os de seus alunos, foram comparados com os das classes de professores que não realizaram os cursos. A pesquisa foi realizada pela e-Learning for Educators, um consórcio de formação profissional que reúne dez estados norte-americanos, apoiado pelo Departamento Nacional de Educação dos Estados Unidos
Os cursos ministrados aos professores, apenas aos das disciplinas de matemática e de línguas, foram preparados para divulgar não apenas informações teóricas, mas também técnicas pedagógicas que pudessem ter aplicação imediata em sala de aula. As atividades combinavam ações independentes e conjuntas entre os alunos e com os professores, com grande ênfase na facilitação de debates. Na comparação entre os resultados de professores que fizeram os cursos e os que não fizeram, das 27 variáveis estudadas (performance dos professores em temas diferentes e produção dos alunos), os resultados mostraram melhoria grande e estatisticamente relevantes para das 12 delas, e melhoria média para outras 7. Já entre os alunos, das 20 variáveis estudadas, notou-se efeitos em todas, embora menores do que os observados nos professores, sendo que em 8 delas com relevância estatística. Os resultados foram mais tênues para os alunos em parte porque algumas variáveis foram verificadas no mesmo ano em que os seus professores fizeram os cursos, e portanto não tiveram tempo de alterar seus planos de aula e projetos pedagógicos de acordo com o que aprenderam nos cursos que realizaram.

Veja o texto que apresenta a pesquisa (em inglês, no formato PDF) aqui.

Matéria publicada no portal http://www.acheseucurso.com.br/

MEC estima em três milhões brasileiros que estudam por EAD

O Brasil tem cerca de três milhões de estudantes a distância, e "crescendo em todos os níveis de graduação e pós-graduação". A estimativa foi feita ontem pelo secretário nacional de Educação a Distância do Ministério da Educação, Carlos Eduardo Bielschowsky, durante a abertura do 16º Congresso Internacional Abed de Educação a Distância (CIAED). O evento vai até 3 de setembro e acontece em Foz do Iguaçu (PR). Bielschowsky também afirmou que o presidente Luís Inácio Lula da Silva e o ministro Fernando Haddad acreditam na EAD porque é um método que “desenvolve a autonomia do processo cognitivo” e porque “estamos incluindo no processo educacional pessoas que não teriam condições de estudar de outra forma”. O secretário também citou a expansão da estrutura federal de educação a distância que acontece com a criação recente da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), que levará à África pólos presenciais do projeto federal da Universidade Aberta do Brasil.

Se forem considerados os demais níveis educacionais, tais como educação básica por meio de educação de jovens e adultos (EJA), ensino médio e cursos técnicos, além dos cursos livres, o número de brasileiros que estudam a distância pode mais que duplicar a estimativa do secretário nacional de EAD para o nível superior. Uma pesquisa do Conselho Gestor da Internet para o Brasil, divulgada em relatório exclusivo do portal Ache seu Curso, indica que o número de brasileiros que fazem cursos por EAD chega a 7 milhões, e ainda exclui os que fazem cursos a distância por outras formas que não utilizem o computador (TV, DVD, satélite, mídia impressa, rádio etc). Os dados da pesquisa podem ser lidos aqui.

O presidente da ABED, Fredric Litto, afirmou também na abertura que o evento conta com 142 trabalhos científicos, selecionados entre quase 300 propostas que foram apresentadas, além de 1.210 inscritos, o que demonstra o interesse e o porte da comunidade de educação a distância no país. Também participaram da abertura do evento o diretor-executivo do FGV Online, Stavros Xanthopoylos, Edson de Oliveira Clemente, representante do Sesi, François Marchessou, da Universidade de Poitiers, que deu uma palestra com o tema ‘Aprendizagem a distância na era dos nativos digitais e das redes sociais: novos espaços, novos desafios para os designers de cursos e tutores’, e Frits Pannekoek da Athabasca University (Canadá), que palestrou sobre ‘Restrições à Universidade Aberta’.

Veja um vídeo com as falas da abertura do evento em http://www.youtube.com/watch?v=ZnDQmY9Zbew.

Mais informações sobre o evento na página da ABED, em http://www.abed.org.br/congresso2010/ .
Fonte da informação: www.acheseucurso.com.br

 
PUAP - Av. Senhora Santana, 17 - Centro - Luís Gomes - RN - CEP: 59.940-000