quinta-feira, 18 de março de 2010

UFRN/SEDIS
Pólo Universitário de Luís Gomes
Encontro com a Coordenação do Curso de Geografia / EaD


Caros alunos,

Estamos disponibilizando o calendário referente à reunião da coordenação e da vice-coordenação do curso de Geografia em nosso Pólo. O Encontro será ministrado pela Coordenadora do Curso de Geografia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, professora Eugênia Dantas, que irá tratar do funcionamento do curso e tecer alguns encaminhamentos acadêmicos das disciplinas ofertadas neste semestre, dentre outros assuntos. Portanto, a presença do alunado é obrigatória.
Pólo: Luís Gomes
Data: 26/03
Local: Sala de Projeção do Pólo Universitário de Luís Gomes
Horário: 14:00 h às 16:00 h - Reunião com os alunos ingressantes em 2009.1

A Coordenação

Ciências Biológicas: muita coisa a ser explorada

A Biologia terá grande impacto sobre os ramos do conhecimento no próximo século.
Todas as ciências estão relacionadas com as Ciências Biológicas. mesmo antes da experiência com a ovelha Dolly, as universidades já se concentravam em projetos integrados, dedicando cada vez menos espaço para pesquisas estanques,centradas em único ramo de conhecimento.
Isso porque, a partir da segunda metade deste século , os avanços da Ciência exigiram estudos interdisciplinares. A Biologia vem se caracterizando como última grande fronteira do conhecimento humano e há muita coisa a ser explorada.
É o estudo de todos os aspectos físico-químicos da vida. Investiga a origem, evolução, estrutura, funcionamento e classificação dos seres vivos em suas diferentes formas de expressão.
O Biólogo
Estuda a origem, desenvolvimento, fisiologia, herança e outros aspectos da vida vegetal e animal, com a finalidade de resolver problemas médicos, ecológicos, agrícolas e outros (Biotecnologia).
Classifica todas as formas de organismos vivos (animais e vegetais) verificando sua distribuição geográfica e as características do ambiente em que vivem.
Pesquisa mecanismos genéticos de transmissão de caracteres hereditários (Genética).
Pesquisa as eventuais alterações orgânicas e funcionais causadas por substâncias tóxicas ou não e os efeitos de microorganismos sobre as formas vivas (Microbiologia).
Pesquisa os sistemas e processos de defesa dos seres vivos (Imunologia).
Desenvolve trabalhos na área da ecologia, pesquisando a relação entre organismos e seu meio ambiente, estudando o impacto ambiental causado pelo homem e administrando reservas naturais.
Faz a recombina ção de DNA para desenvolver medicamentos.
Onde Pode Trabalhar
Magistério de 1.º , 2.º e 3.º graus.
Pode administrar jardins botânicos, zoológicos, estações ecológicas, etc.
Elabora estudos, projetos ou pesquisas científicas nos vários setores da Biologia ou a ela ligadas , bem como os que se relacionam com a preservação, saneamento e melhoramento do meio ambiente.
Orienta, dirige, assessora e presta consultoria a empresas, fundações, sociedades, entidades autárquicas, privadas ou do Poder Público, no âmbito de sua especialidade.
O Curso
Desde o primeiro período o aluno entra em contato com disciplinas ligadas à Biologia Geral, Matemática Aplicada, Física, Biofísica, Química, Fisiologia, Anatomia, Zoologia, Botânica e Geologia, As aula práticas são ministradas em laboratórios e envolvem microscopia, estudo de animais e vegetais, além de atividades de campo — Geologia, Biologia Marinha, Botânica e Zoologia.
Nos últimos períodos o aluno passa por disciplinas nas áreas de Biologia como Paleontologia, Ecologia, Biologia Econômica e Sanitária, Melhoramento Genético e outras, e ainda disciplinas nas áreas da Educação como Filosofia, Cultura e Cidadania, Higiene Escolar e outras.
Postado por: Pólo UAB de Itaporanga / PB, 01/03/10.

Analfabetismo funcional cai entre negros e pardos, diz IBGE
A Síntese de Indicadores Sociais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta sexta-feira, mostra que em relação à taxa de analfabetismo funcional, houve redução mais expressiva para pretos e pardos que para brancos, entre 1997/2007. No entanto, a desigualdade em favor dos brancos se mantém.
Em 2007, a taxa de analfabetismo funcional para essa população (16,1%) era mais de dez pontos percentuais menor que a de pretos e pardos (27,5%) - sendo que essa taxa dos pretos e pardos ainda está mais alta do que as dos brancos de dez anos atrás, diz o estudo.
Segundo informações do IBGE, outra maneira de pensar sobre a questão a questão é observar a distribuição por cor ou raça da população que freqüenta escola com idades entre 15 e 24 anos. Na faixa de 15 a 17 anos de idade, cerca de 85,2% dos brancos estavam estudando, sendo que 58,7% destes freqüentavam o nível médio, adequado a esse grupo etário.
Já entre os pretos e pardos, 79,8% frequentavam a escola, mas apenas 39,4% estavam no nível médio. Por outro lado, enquanto o percentual de brancos entre os estudantes de 18 a 24 anos no nível superior era de 57,9%, o de pretos e pardos era de cerca de 25%.Segundo o estudo, a média de anos de estudo da população de 15 anos ou mais também apresentar uma vantagem de em torno de dois anos para brancos (8,1 anos de estudos) em relação a pretos e pardos (6,3), diferença que vem se mantendo constante.
Fonte: Terra.com

 
PUAP - Av. Senhora Santana, 17 - Centro - Luís Gomes - RN - CEP: 59.940-000